A Mão Negra de Estremoz

A MÃO ESTÁ COMPLETA - 5 são os membros: Polegar-O Cérebro; Mindinho- Pequeno mas solidário; Anelar- O Aliado; Indicador- Quem mostra a "direcção" e Maior de Todos - Grande no tamanho e nas convicções.

22 abril 2006

INDIGNAÇÃO....

Indignado. Ocorre-me esta palavra porque foi o sentimento que vi na cara das pessoas na sessão de Assembleia Municipal de Estremoz no dia 21 de Abril. Com Abril tão presente como pode a actuação da Odete Ramalho ser tão próxima do 24 de Abril. Assim não... 25 de Abril Sempre.
Demita-se senhora Presidente!!!

ASSEMBLEIA MUNICIPAL.... Que Vergonha !!!!

A noite de sexta feira 21 de Abril fica marcada pela vergonhosa actuação da senhora Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz durante a "suposta" condução dos trabalhos para que está mandatada. Discutia-se o documento de prestação de contas referentes ao ano de 2005, quando a Senhora Professora Odete Ramalho resolveu tirar um "coelho da cartola" e propôs á Assembleia retirar o ponto da ordem de trabalhos. Assim sem mais nem menos.... Sem justificar o porquê desta tomada de posição unilateral e que visa apenas defender os interesses da CDU. De facto torna-se injustificável que tendo a CDU conduzido os destinos da Câmara durante praticamente todo o ano de 2005 os seus vereadores com destaque para Júlio Rebelo e José Cravo tenha resolvido abster-se na votação durante a reunião da Câmara. Eles lá sabem porquê. Mas dá que pensar. Então se nem os próprios votam a favor da sua gestão....
Com esta atitude a Senhora Professora Odete Ramalho "conseguiu" que o documento voltasse á reunião de câmara e consequentemente terá que ser (re)apreciado pela assembleia municipal em reunião extraordinária marcada para o efeito. Esta operação custará a todos nós munícipes mais de 700 contos. Extraordinário para uma senhora que se diz preocupada com o futuro do concelho. Sem dúvida ... uma verdadeira dinâmica de sucesso.

20 abril 2006

Lixo a Mais ou Cidadania Menos




A Cidade está mais suja do que nunca. Os bairros limítrofes de Estremoz, como Mendeiros há anos que não encontram paz ambiental. Não se sabe ao certo as causas mas certamente que as que se seguem ou o conjunto delas estão na base deste "desarrumo":
1-Falta de fiscalização e punição dos prevaricadores;
2-Ausência de cuidado por parte dos moradores;
3-Deficiente recolha de lixo;
4-Aplicação insuficiente das coimas previstas na lei;
5 - Falta de cultura ambiental
6- Inexistentes campanhas de sensibilização;
7 - Falta de cidadania.

19 abril 2006

DINO e os NOSSOS FILHOS....


A notícia irrompeu pela casa dentro de forma inesperada e violenta: Morreu o “Dino” dos Morangos com Açúcar. O meu filho ficou entre o desespero e a frustração tal como terão ficado milhares de jovens e menos jovens pelo País inteiro. Nos dias seguintes a questão era saber se devia ou não deixá-lo assistir ás imagens televisivas que insistentemente repetiam a notícia bem como o funeral.
A morte é certamente um dos temas mais delicados de abordar durante o processo educativo entre pais e filhos. Embora seja a coisa mais natural, a morte traz sempre associada a emoção de perda, a frustração, a dor e o “nunca mais” e por isso se assiste a esta progressiva atitude de protecção dos mais novos, facto que não acontecia há gerações atrás.
Hoje há uma atitude distanciada da morte, quase diria que se pratica o culto de que se é invencível, de que se é imortal e de que se é eternamente jovem. Esta situação é tanto mais paradoxal quanto foi a confusão tida por alguns miúdos quando souberam da morte do “Dino” e á noite o viram “reaparecer” em mais um episódio da sua série favorita – Os Morangos com Açúcar”:
- Afinal “ele” não morreu… concluíram alguns petizes.
Nos mais pequenos há uma inconsciência da morte que é extremamente perigosa e por isso são cada vez mais as vozes a defender que a presença das crianças em funerais tem uma função importante, social e emocional na estruturação da sua própria personalidade, para além de ter um efeito “modelador” na responsabilidade individual. É preciso que eles, os nossos filhos, reconheçam a morte como um processo irreversível e é também necessário que nós, os pais, saibamos que eles têm mais resistência do que imaginamos.
O infeliz episódio do “Dino” é muito doloroso para todos nós mas deve ser aproveitado para fazer alguma pedagogia sensibilizando as nossas crianças para a necessidade da segurança rodoviária e para os preparar para a única coisa que na vida temos certos: a morte.

18 abril 2006

Ciência Viva

São inúmeros os autocarros "empilhados" de alunos de todo o País, que gravitam em torno do Centro de Ciência Viva de Estremoz. Basta notar a indicação de proveniência dos mesmos, para perceber que o Centro se tornou num polo aglutinador de alunos de todo o Portugal. Costuma dizer-se que "casa de ferreiro..espeto de pau" e, ou eu ando muito distraído ou as escolas locais ainda não deram conta do Centro de Ciência Viva de Estremoz.

17 abril 2006

Estacionamentos....

Sábado, 15 de Abril de 1006, 09:30 H, Rossio Marquês de Pombal.
O Rossio está praticamente lotado de carros. O estacionamento nas ruas e praças circundantes está preenchido e o trânsito é intenso. 10:00 horas, continuam a chegar carros, ainda restam alguns lugares vagos dentro do Rossio. 11:00 trânsito parado dentro do Rossio. Acessos entupidos, confusão total, ordenamento do estacionamento igual a zero. Policias na rua... nenhum.
Assim vai Estremoz no seu melhor....