A Mão Negra de Estremoz

A MÃO ESTÁ COMPLETA - 5 são os membros: Polegar-O Cérebro; Mindinho- Pequeno mas solidário; Anelar- O Aliado; Indicador- Quem mostra a "direcção" e Maior de Todos - Grande no tamanho e nas convicções.

23 junho 2006

O lixo MARCA estremoz (Av.9 de Abril- 23 Junho - 15.00H)

O lixo MARCA estremoz (Av.Tomás Alcaide 23 Junho - 12.00H)

O lixo MARCA estremoz (Av.Santo António- 23 Junho - 09.00H)

20 junho 2006

PARABÉNS

Como as fotos ilustram, vale a pena mostrar algumas coisas que vão mal na nossa terra e prova-se que os nossos responsáveis também estão atentos. Parabéns, passados 4 longos anos, foi finalmente retirada a peça museológica da marca "Konstrutor sem Eskrúpulos".

19 junho 2006

CORRUPÇÃO

Os países onde os alunos dos cursos de Economia e Gestão mais copiam são também aqueles em que existem índices de corrupção mais elevados, segundo um estudo da Faculdade de Economia revelado hoje pelo Diário de Notícias.
O estudo, que incidiu sobre mais de sete mil alunos de Economia e Gestão de 21 países dos quatro continentes, concluiu pela existência de uma «forte correlação» entre a prática de copiar e a corrupção de um país.
As investigadoras Aurora Teixeira e Fátima Rocha associaram a percentagem de alunos que admite copiar e medidas de corrupção, como o Índice Internacional de Transparência, no estudo de maior dimensão mundial em número de países avaliados.
O estudo incidiu nos alunos das licenciaturas de Economia e Gestão porque, segundo as investigadoras citadas pelo Diário de Notícias, são «potencialmente os líderes económicos e políticos».
Os alunos dos países do Leste da Europa são os que mais copiam, com a Polónia a liderar a tabela, com 100 por cento de probabilidades de um aluno copiar, seguida da Roménia, com 96 por cento, e da Eslovénia, com 84, 6 por cento.
Na América Latina, o Brasil tem a mais elevada percentagem de alunos a copiar, 83 por cento, seguido da Colômbia, com 72,7 por cento.
São do Norte da Europa os alunos que menos recorrem a práticas desonestas: na Suécia apenas 4,5 por cento copia e na Dinamarca 5,1 por cento.
Em Portugal, a probabilidade de copiar é de 62,4 por cento, a mais baixa do conjunto dos países da Europa do Sul, liderada pelos alunos espanhóis com 79,6 por cento, seguidos dos turcos com 65,4 por cento.